Passar para o Conteúdo Principal

Logótipo Museu Municipal Vila Franca de Xira

“Traços do Rio”

AFEcard960x560pxTraçosdoRio
psi_2019_IMG_1884
psi_2019_IMG_1892
postaistracosdorio_copiar_page_1_1_1024_2500
postaistracosdorio_copiar_page_3_1_1024_2500
postaistracosdorio_copiar_page_2_1_1024_2500
psi_2019_IMG_1841
psi_2019_IMG_1844
psi_2019_IMG_1843
psi_2019_IMG_1845
psi_2019_IMG_1852
psi_2019_IMG_1853
psi_2019_IMG_1846
psi_2019_IMG_1913
psi_2019_IMG_1907
psi_2019_IMG_1916
psi_2019_IMG_1910
psi_2019_IMG_1931
psi_2019_IMG_1922
psi_2019_IMG_1937
psi_2019_IMG_1947
2019/05/04 a 2020/03/01
Local:
Núcleo Museológico "A Póvoa e o Rio" - Póvoa de Santa Iria
Horário:

4.ª – feira a domingo - 9h30.12h30 – 14h00.17h30
Encerra às 2.ª, 3.ª feiras e feriados

A Exposição Traços do Rio que inaugurou a 4 de maio de 2019, no Núcleo Museológico “A Póvoa e o Rio” resulta de uma parceria entre a Câmara Municipal de Vila Franca de Xira e a Associação Cultural Avieiros da Póvoa de Santa Iria que juntos procuram revelar ao público um olhar sobre a Comunidade Avieira da Póvoa de Santa Iria.

Exposição de cariz maioritariamente fotográfico é através da lente do fotógrafo Miguel Mestre que nos é dado a descobrir a forte ligação entre o rio e as gentes que nele procuram o seu sustento através da pesca.

Miguel Mestre

Miguel Mestre - AutorNatural de Lisboa com duas costelas alentejanas, considero o Alentejo a minha segunda casa, a primeira é alverquense desde que nasci.

Comecei a fotografar com uma máquina que era do meu pai, que me pegou o gosto pela mesma, a velha Yashica que estava em cima do guarda fato e que não se podia mexer.

O meu segundo contacto com fotografia foi na tropa, onde a minha especialidade era o que chamavam de fotógrafo de guerra, mas na verdade era multimédia.

Fui depois para um serviço na CMVFX (Câmara Municipal de Vila Franca de Xira) onde mais tarde ou mais cedo uma máquina caía-nos nas mãos, primeiro em analógico, de seguida em digital.

Quando comecei a fotografar ainda tudo era analógico e caro, com o digital recuperei o meu hobby, porque agora era mais acessível.

A minha formação académica foi em Eletrónica e Multimédia na vertente de áudio.

Fui sempre um autodidata, mas tive bons professores em vários amigos com quem ainda hoje partilho conhecimentos. Pertenci a vários grupos de fotografia. Sou um dos fundadores do grupo Tribo da Fotografia que se mantém ativo ainda hoje. Participei em várias exposições coletivas, como membro da Tribo. Fui convidado pela AJA (Associação José Afonso), a fazer uma exposição conjunta sobre os 40 anos de Grândola.

Gosto de todo o tipo de fotografia, a artística ou de paisagem nunca foi a minha vertente mais forte. Gosto de tudo o que seja rápido, logo o meu gosto, vai para a fotografia de desporto em todas as suas vertentes. Devido ao trabalho de hoje em dia, o que mais gosto de fotografar são espetáculos, pois as condições de luz alteram muito rapidamente, o que torna tudo muito mais difícil e interessante.

Neste momento tento ser um autodidata na área de edição digital de fotografia que é sem duvida uma parte que me fascina.

 

ENTRADA LIVRE

Contactos


Núcleo Museológico "A Póvoa e o Rio"
Parque Urbano da Póvoa de Santa Iria | 2625-112 Póvoa de Santa Iria
GPS: 38° 51’ 30.65” N, 09° 03’ 37.75” W

Horário:
4.ª feira a domingo, 9h30-12h30 e 14h00-17h30;
Encerra à 2.ª, 3.ª feira, feriados e de 1 a 15 de agosto.

Adicionar a calendário 2019-05-04 16:45:00 2020-03-01 16:45:00 Europe/Lisbon “Traços do Rio” Núcleo Museológico "A Póvoa e o Rio" - Póvoa de Santa Iria
rpm_logo UEpowered by Wiremaze